RSS

Semana Mundial do Aleitamento Materno


Em declaração recente, a top model gaúcha Gisele Bündchen posicionou-se dizendo que acredita que amamentar nos primeiros seis meses de vida do bebê deveria ser uma lei para todas as mães. Essa declaração veio ao encontro da Semana Mundial do Aleitamento Materno - comemorada anualmente na primeira semana de agosto -, na qual são debatidas estratégias de divulgar a prática da amamentação e incentivá-la, de modo a aumentar sua prevalência no mundo.

O aleitamento humano é um ato natural que, além de constituir a melhor forma de nutrição para o bebê, é um importantíssimo agente de criação e reforço do vínculo entre mãe e criança. A amamentação possui diversas vantagens para o bebê, para a mãe, para a família e para a sociedade.

Para o bebê, podemos citar a prevenção de otites (dor de ouvido), alergias, pneumonias, bronquiolites e diarréia, um melhor crescimento e desenvolvimento (físico e cognitivo), facilidade na digestão (já que o leite materno possui a quantidade ideal de todos os nutrientes para o bebê nos primeiros seis meses de vida), entre muitos outros benefícios, já extensamente comprovados.

Mães que amamentam reduzem o sangramento pós parto, têm menores chances de desenvolver câncer de mama e de ovários, melhoram o vínculo afetivo com o/a filho/a e retornam mais rápido ao peso habitual. Além disso, amamentar é prático e não exige a higienização prévia e o aquecimento, como ocorre com a mamadeira.

A sociedade se beneficia do aleitamento materno à medida que este ato é ecológico e econômico, uma vez que dispensa mamadeiras, não gera resíduos, é livre de contaminação e já vem pronto.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo (ou seja, sem oferta de água, chá ou outros alimentos) para todas as crianças até os seis meses de idade. A partir dessa idade, alimentos complementares necessitam ser introduzidos, porém a amamentação deve ser continuada até os dois anos de idade ou mais.
Agora que já conhece os benefícios do aleitamento materno, seja mais um/a engajado/a nessa causa!

Conhece alguma grávida? Incentive-a a amamentar.

Alguém que recentemente ganhou bebê? Estimule a amamentação, reforçando a importância dessa prática. Seja um multiplicador desse ato que salva milhões de vidas todos os anos e que melhora a qualidade dos indivíduos, prevenindo doenças na infância e na idade adulta.

Tem dúvidas sobre amamentação? Quer compartilhar alguma experiência? Deixe seu comentário clicando no link localizado logo acima do texto. Será um prazer interagir com você.

Débora Kilpp – deboranutri@espacodomquixote.com.br
Nutricionista do Espaço Dom Quixote

1 comentários:

Ministério da saúde disse...

Olá blogueiro,

Dê ao seu filho o que há de melhor. Amamente!

Quando uma mulher fica grávida, ela e todos que estão à sua volta devem se preparar pra oferecer o que há de melhor para o bebê: o leite materno.

O leite materno é o único alimento que o bebê precisa, até os seis meses. Só depois se deve começar a variar a alimentação.

A amamentação pode durar até os dois anos ou mais.



Caso se interesse na divulgação de materiais e informações sobre esse tema, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

Obrigado pela colaboração!

Ministério da Saúde